30 de dezembro de 2013

Um mar no seio...

Nesses seios alvos
A saliva que não seca.

Camila Senna

29 de dezembro de 2013

Nesse emaranhado que habita meus desejos derramados,
Bebi goles de solidão, saudade

Mas encontrei a consciência

Camisa amarela...

Sonhei com os sorrisos
Entrelaçados
A blusa amarela
A lua iluminando
A sentinela desse desejo

Quimera,
O passarinho de coturno
Não tem residência fixa

Que voe e nunca mais me magoe!

Camila Senna

...

28 de dezembro de 2013

...

Naqueles seios alvos,
A saliva que não seca.

Camila Senna

Paixão ensolarada...

A solidão da saudade
lhe visitará nos teus invernos,
Trazendo lembranças
Do céu se abrindo
Pro sol da nossa paixão,
No apogeu do cruzeiro.

Camila Senna

27 de dezembro de 2013

Inverno-solidão

Quando
Seu
Inverno
Chegar...

Eu
Vou
Estar
No
Verão.

Camila Senna

Mente...

Naveguei por esse sentimento,
Todas as horas...
E você no barco, dormente.

Camila Senna

26 de dezembro de 2013

Só?

Não sou Só de Lua
Nem Só de Sol,
Sou Só Saudade.

Camila Senna

16 de dezembro de 2013

Assim...

Eu nunca amei assim
Tão triste
Com dores esparramadas
Na minha sala

Eu nunca amei assim
Tão sozinha
Parindo poemas de lágrimas

Eu queria amar
O sim desse amor assim

Camila Senna

Quero longe

Te amo arredia
Não te quero de dia
Nem de noite

Te quero distante
Mas te quero

Esse querer
Sem querer perto
Me agonia.

Camila Senna

Carne Egoísta

Me apresentou o carnaval
Mas pulou solo
No bloco das mentiras

Camila Senna

Acorda

Meu tempo
Te deu corda
E você se enforcou

Camila Senna

14 de dezembro de 2013

Te amo ludibriada
Faço poemas de lágrima
Liras de saudade

Camila Senna

Nem entregue
no seu mar oculto
Te fiz amar aberto

Camila Senna

10 de dezembro de 2013

Papel sem tinta...

As mesmas canetas
Jogadas no foco
Da minha janela

Com o pesadelo
De despertar-me
Do meu sonho,

Você as levou,
Quando desleal,
Profanou o que
Eu mimava puro

Talvez foi pra eu não mais lhe escrever...

Mas talvez tenha sido
Sopro do destino,
Apagando você
Das linhas da minha vida.

Camila Senna

19 de novembro de 2013

Ruas de mim...

Minha branca mão,
Sobre teu peito,
Descansou no verão passado

Ainda ardo teu beijo
Te encontro em mares
Escalo teu olhar para ver se me acho

Minha branca mão,
Sobre teu peito,
Dormiu o infinito

Mas vou me embora
Me deixando cravada
Na tua pele parda

Vou esperar o outono chegar...
Quimera das cores de mim

O sonho ainda existe,
Mas perdi no vento
A vontade de te sonhar

Sei que amei tuas estradas
Me afoguei no teu sorriso
Me entreguei pros teus olhos pidão
Me perdi nas tuas mãos preenchidas da minha carne

Mas estou de malas prontas
Indo além das ruas de mim...

Camila Senna

15 de novembro de 2013

Voz sem palavras...

Não quero falar nada
Do tudo que houve...

Quando faço silêncio,
Sou mais poeta ainda.

Camila Senna


8 de novembro de 2013

Negro violeta...

Despedida...

À minha frente somente uma porta, estou abrindo-a com cuidado. Sabendo que atrás de mim todo um passado colorido de amor e dor. Estou me despedindo e me despindo pra uma nova Era.

Camila Senna

7 de novembro de 2013

Etéreo...

Bocas que caem no sono em fusão...

4 de novembro de 2013

Nem Dor, nem Mente...

Dor-Mente
Mente Dor

Camila Senna

Um só...

O Ar de Ana...
É Ariano

Camila Senna

AGRIDOCE

Esse mistério íntimo

Nem doce demais
Nem salgado demais

Foi Iemanjá que temperou

Camila Senna

Vento...

Esse Ar de Dona,
Foi Iansa que soprou

Camila Senna

Natural...

Essa magia sem esforço
De pés descalços
Da saia encantada...
Foi ordem da Cigana
Quando nasci...

Camila Senna

Batismo..

Essa fé certeira,
Volumosa,
Foi Oxalá que benzeu

Camila Senna

Foi...

Esses olhos de água,
Foi Oxum que me deu

Camila Senna

Zaida...

A cigana juntou as malas
Deu adeus a encruzilhada
Pegou o caminho de sua estrada
Com uma rosa no peito,
Outra nos olhos...

Camila Senna

Jah!

Graças a Jah,
Ainda sinto
Cheiro de alecrim

Camila Senna

Uma folha...

De repente...

Esse sorriso
No canto
Da minha boca,
Voltou decidido

Camila Senna

Corssais

Todas as Cores pra tua estrada
Todos os Sais pra tua alma

Camila Senna

NAVEGANTE

Pelos meus pelos dourados
Tua mão navega bravia,
Corajoso se lança no meu mar

Enfrenta a correnteza
Toma toda minha ressaca
E prova o Sal de mim

Camila Senna


3 de novembro de 2013

Ronronar...

Ronronando
Embaraçada
No teu peito

Paquero a lua,
Me faço tua

Camila Senna

Não Vale A pena

É uma pena
mas você não vale a pena

Não vale uma fisgada dessa dor
Não cabe como rima de um poema...

Composição: Jean Garfunkel/ Paulo Garfunkel

Chega!!!

Prefiro andar sozinha
Como Sou...

Nada!!!!!!!

http://www.youtube.com/watch?v=4EmxHB8SphE&feature=youtube_gdata_player

2 de novembro de 2013

...

"Namorei durante um louco,
Um ano e pouco".

Camila Senna

31 de outubro de 2013

Bordando...

Ao som da solidão
Bordo minha alegria
Pro próximo carnaval.

Camila Senna

TRÊS DIAS

Chega, rouba minha cena
Usa-me de poema
Se embriaga da minha saliva
Furta meu sexo
Envenena minha alma
Rasga minha calcinha

(me faz feliz por três dias)

Depois vai embora, perdendo a memória.

Camila Senna

30 de outubro de 2013

RIO

No meu corpo deserto
Habita um rio
À espera da sua língua

Uma flor exótica
Se abre toda
Florescendo amor

Camila Senna

Rio salgado...

Me namorei
Te enamorei
Perfumei o quarto
Com as cores do meu perfume...

Te esperei pela janela,
Me enganei toda

Tua essência não faz ninho certo
Vive à procura de outras aventuras

Vou deixar ao vento
Minha vontade
De um amor sereno

Fecharei minhas janelas
Minhas portas
Mas não as estradas do meu coração

Mesmo com tantas mazelas
Brindo à vida
Mergulho no meu rio de lágrimas

Camila Senna

28 de outubro de 2013

Não!

Mexeu com meu não
Desfez o meu sim

O mar misterioso se abriu,
Destrancou as conchas todas,

Estava eu dentro da mesma
Feito um mosaico
Colorido de dor

Me espalhei,
Dei às espumas,
Minhas lágrimas

Pedi pra Iemanjá me limpar
Trazendo de volta
O sabor visceral...
Ela me ouviu e afogou
A voz insípida, encantada sim, mas dor(mente), ludibriada.

Camila Senna




Estrada de mim...

Os ratos e as cobras irão passar pela minha estrada, por gentileza, direi:"olá"...

Seguirei...

O amor também vai andarilhar pela minha estrada em busca de um lar coração, direi:"estou aqui".

Camila Senna

27 de outubro de 2013

Mente...

Doutro lado,
Vejo tudo...

Escuto vozes
Vejo a agonia no olhar
Ouço o telefone tocar
Mas não sou atendida

Mas também, pra quê?

A voz não me ouve, e o ouvido é dor(mente)

Camila Senna

Um amor...

Quero toda minha alegria nas minhas linhas,
Todo meu ciúme
Toda farpa
Toda dor
Toda minha passionalidade
Todos os malditos teus
Toda doçura amarga
Toda lágrima
Toda melancolia em flor
Quero tudo de mim nas minhas entrelinhas

Quero o amor transbordando
Suas vicissitudes no meu barranco de palavras que não param

Quero escrever com minha alma rasgada, quero que a métrica se foda, odeio regras, hora marcada,
Cabelo arrumado

Quero a calcinha rasgada
O tapa na cara
A língua

E quero à cima de tudo um amor que fique,
e quando seguir viagem, se despeça.

Camila Senna

26 de outubro de 2013

...

Tem muitas
vidas passadas
nesta vida.

Camila Senna

25 de outubro de 2013

...

Nós dois Ciganos...

...

Nós dois juntos Ciganos...

22 de outubro de 2013

Lágrima deserta...

O vento tem furtado
Lágrima por lágrima,
E levado para
o deserto do pranto.

Camila Senna

19 de outubro de 2013

Paradoxo

Para mim o nada
é tudo,
você nada nesse tudo.

Camila Senna

16 de outubro de 2013

Olheira minha...

Uma Mulher sem olheiras...
É como um poema raso, sem fronteiras.

Camila Senna

Coralinda...

É que tem mais estrada em meu coração do que medo em minha cabeça.

Cora Coralina

Só chuviscou...

Copiosamente,
Cai a chuva

Jorrando esperança
Dizendo em cada pingo,
Que o passado turbulento
Não passou de um chuvisco

Camila Senna



Colibri de mim...

Aquele colibri de outrora
Voltou fazendo ciranda
Na minha alegria
Colorindo minhas saias
Me arrebatando pro rio de mim...
Que ri, dança e solta os cabelos
Querendo mais, mais...

Camila Senna

Jorro...

Chuva no cio
Sou eu quando rio

Camila Senna

15 de outubro de 2013

Girassol...

Gira o Sol da minha estrada
Trazendo mar enluarado
Lambendo meus erros

Cristalizando meus segredos

Camila Senna

...

Amor

Com
Fusão

Giovani Bafô

Paradoxo...

O desapego também é solidão
Ser muito racional é ilusão
Ser apaixonada é o amor sonhando

Mentira é acreditar em Tudo!

Camila Senna

São Caboclos querendo ser Ingleses...

No trecho da música "Burguesia", De Cazuza

14 de outubro de 2013

Me retirei com pés de Lã..

Trecho da música "Leve", de Chico Buarque.

EntreTanto...

Entre Tanto, canto
Dobrando meu manto
Inundado de pranto.

Camila Senna

Mútuo...

Meu negro olhar,
Invade o azul do mar

Um encontro profundo,
Um encanto mútuo

Camila Senna

13 de outubro de 2013

Rosa com espinhos...

Uma rosa sem espinhos,
Não é rosa
As que não tem,
são de plástico

Sou uma rosa com espinhos,
Tenho o meu sujo e meu néctar

Sou de carne, sangue e essência.

Há os que almejam
uma vida sem cicatrizes
sem experiências cravadas, calçadas pintadas

Enfeitam suas janelas cinzas com flores pintadas de cores escolhidas, no fundo todas mórbidas

Pessoas prisioneiras de um jardim sem primavera
Nunca vão gozar de alegria...
E entender como um choro é libertador!

Camila Senna

11 de outubro de 2013

Eu vi...

Eu o vi andando pesado
Com kengas cravando seus peitos

Eu vi seus pés pesados de multidão de estórias verdadeiras
E histórias fictícias

Eu vi suas costas mutilada
traçada por um passado oculto

Eu vi, eu vi

Vi a boca mentir falando verdade
Vi a vontade, mas não vi o amor

Eu vi as lágrimas
Ouvi as juras

Vi as unhas cravadas como tatuagem
Mas não eram minhas
Eram das putas que o idolatra

Vi um passarinho de coturno
Sem asas
Sem coragem de fazer ninho.

Eu vi, mas não me vi

Camila Senna

9 de outubro de 2013

Retrovisor...

!

http://www.youtube.com/watch?v=bi8miESkHSQ&feature=youtube_gdata_player

8 de outubro de 2013

Transpiro...

Cada guimba de cigarro,
Uma respiração,
Poesia cinzenta

Camila Senna

Castrei


Cortei meus cachos
Passarela ensolarada
Que você pisava

(castrei meu amor casto)

Camila Senna

7 de outubro de 2013

Men-tira

A mentira
Vai revelar doutro lado,
A verdade

Sigo só, a sós comigo
Melhor caminho
Pra libertação

Voe passarinho
Que nunca fez ninho
Certo no meu coração

Camila Senna

Pó de Poesia no Labirinto Poético

O evento fez parte da FLIZO
 (Festival Literário da Zona Oeste)

 Ivone Landim



Camila Senna


 Doris Barros











 Pés descalços admirando meu muso Márcio Rufino












6 de outubro de 2013

Vírgula

Verso no silêncio sem métrica
Durmo no acento
Pergunto a interrogação
Respondo a exclamação
Caminho contrário as reticências
Quanto as três crases à cima,
Ficaram barradas

Ponto final é o caralho

(mas adoro vírgulas)

Camila Senna.

Despacho Público...

Quanto ao teu despacho
Na esquina da minha sã-insanidade,
Relaxo e jogo os seixos das tuas palavras
Num rio que até meu mar recusa..

Tuas palavras trópegas
não me embebedam,

Por misericórdia
Lhe ofereço um cigarro
Você o acende,
Mas quem tem a brasa sou eu.

Camila Senna

2 de outubro de 2013

...

Esse mar todo
Lambendo meu maxilar
Me deixa andar-ilha

Camila Senna

30 de setembro de 2013

Versos nos muros não muda a Sociedade, mas Ajuda!


29 de setembro de 2013

Hotel e Spa da Loucura - Sarau TropiCaos




" Não se curem além da conta. Gente curada demais é gente chata. Todo mundo tem um pouco de loucura. Vou lhes fazer um pedido: Vivam a imaginação, pois ela é a nossa realidade mais profunda. Felizmente, eu nunca convivi com pessoas ajuizadas".
"É necessário se espantar, se indignar e se contagiar, só assim é possível mudar a realidade..."

Nise da Silveira





Queda...



Mesmo alto

Te olhei sem degraus
Tenho queda por alturas



24 de setembro de 2013

Nem assim...

...

Nem entregue
no seu mar oculto,
Te fiz amar aberto.

Camila Senna

Iuri Andrade - Um Oum






...


23 de setembro de 2013

...


Metamorfoseado
forja
foge
penetra pueril...
Doce pimenta,
Leitura de mim.


Camila Senna

Metade's



 
Mente, metade sadia, 
e a outra metade insana...
Corpo, metade bendito,
metade louco varrido...
Saúde, sem cólera, mas não totalmente imune, 
quero ser curada vez em quando pelo veneno bom do “amor”.
Camila Senna 


Liz....





"O papel mais difícil que já enfrentei foi o de amadurecer”.
 Elizabeth Taylor

22 de setembro de 2013

Emily Dickinson com sua linguagem cotidiana me encontra, me fascina!

Para sempre é composto de agoras.

Emily Dickinson

Violeta Parra


Leminski

“Eu queria tanto ser um poeta maldito
A massa sofrendo, enquanto eu profundo medito

Eu queria tanto ser um poeta social
Rosto queimado pelo hálito das multidões

Em vez, olha eu aqui
Pondo sal nesta sopa rala, que mal vai dar para dois”.



Paulo Leminski

Liras...



Te amo ludibriada
faço poemas de lágrimas,
Liras de saudade.

Camila Senna

Os sentidos Sentidos por Caetano Veloso




o amor que a mim comove
e a qualquer homem
o baixo ventre
o baixo ventre
e também os seios às mulheres
o amor que enverniza a flor
o mal
a fúria de dois leões
que ferem a pele
do amor
e não o cerne do amor
que a mim comove
o alto coração
como alto ar que aura
a fronte da acrobata
é lenda?

podes ser falsa
e oscilas como o riso
da fímbria do rictus
de um olho de vidro
do prateado poeta
para a vida
ou como a serpente estendida
sob a escama sibilina
come a flauta
o poeta
alisa tua seda
é lenda?

o nome quer brilhar a língua
língua é lenda
a própria lenda é lenda
além da.

Mistérios...

Meus embaraços,
todos mistérios,
abraço no ar o etéreo.

Camila Senna
São tempos difíceis para os sonhadores...

O Fabuloso Destino de Amélie Poulain


20 de setembro de 2013

Me sereno...



 




Meu cinzeiro está cheio de paixões queimadas,
E é das cinzas que renasço, me faço
Me entrego, me verso, me exponho
Não tenho crise com o erro

Errante também ora, implora
E acerta, se lança e segue...

Apago a vela do descaso,
Ardo, inflamo, proclamo
Gritando ao vento:”não tenho medo”

Se precisar me atiro feito tiro
Depois gozo feito paixão febril

Não nego a solidão
Que ciranda meus olhos
Minha boca e o ventre da minha alma

Mas não me omito
Sacudo a poeira da saia
Giro no meu mundo
Crédula, incrédula

Quase me jogo no mar dos ateus
Mas o amor me puxa pelos sentidos,
Bandido, sussurra no meu ouvido dizendo
Que sou sua sina, seu incesto, sua doutrina

Cheia de rima
faço pirraça
Cuspo no passado, blasfemo

Depois da sangria que traço de mim,
Digo sim, sinto cheiro de alecrim
Me acudo,
Me sereno,
Me entendo. 


Camila Senna

Desencanto... (Isso é lindo)





Eu faço versos como quem chora
De desalento… de desencanto…
Fecha o meu livro, se por agora
Não tens motivo nenhum de pranto.

Meu verso é sangue. Volúpia ardente…
Tristeza esparsa… remorso vão…
Dói-me nas veias. Amargo e quente,
Cai, gota a gota, do coração.

E nestes versos de angústia rouca,
Assim dos lábios a vida corre,
Deixando um acre sabor na boca.

- Eu faço versos como quem morre.


Manuel Bandeira


Solo...


Amei solo
numa melodia
de um brinco só.



Camila Senna

19 de setembro de 2013

...


Nunca mais

Dorival Caymmi

Eu tentei te escrever
Mas depois desisti
Preferi te falar
Assim a sós
Terminar nosso amor
Para mim é melhor
Para nós é melhor
Convém à nós
Convém, amor
Nunca mais vou querer o teu beijo
Nunca mais
Nunca mais quero ter teu amor
Nunca mais
Uma vez me pediste sorrindo
E eu voltei
Outra vez me pediste chorando
Eu voltei
Mas agora não posso, não quero
Nunca mais
O que tu me fizeste amor
Foi demais

Itinerante...

Reconstruir toda uma cidade interna
que desabou dentro de si
e parir uma sociedade nova,
sem mácula, sem guerra, é foda!


Corajoso
é andarilhar
por entre os escombros de si,
sendo itinerante persistente
e fecundar sonhos com rosas nos olhos.

Camila Senna

19 de Setembro Dia do Teatro, Salve!!!!!


Mata da minha Cidade

Me mata
essa mata
desmatada

Camila Senna

18 de setembro de 2013

Sinto muito!...

 O ego fez presença e dançou no meu pesadelo,
a mentira ousou e sorriu vazio pros meus dentes

Quebrei os copos
violei o violão
Taquei fogo no teto
(cortei o mal pela raiz)

Insana
em Sana,
res(PIREI)

Mas isso foi ontem!
Hoje, hoje não sei o que há comigo

Sempre sinto tudo que passa por mim
Sinto até mesmo o silêncio do deserto que nunca vi
Meu coração está sem reação

Será que ele virou ateu?
Será que está exilado?
Será que o mataram?

Só sei que não sinto nada...
E NADA, prazer, estou adorando te conhecer!

E sinto,
SINTO muito,
mas não te sinto mais!

E digo mais,
PASSADO, não serei mais teu PRESENTE!

Camila Senna.

...

 

 

Coloque músicas novas para tocar no seu VinilCoração!

Belô Velloso - Canção Sem Seu Nome




Nos olhos!...

Uma fera selvagem que Ama,
inflama, 
pede abrigo
chora sentido, 
acolhe,
perdoa quantas vezes o coração liberar

mas essa fera está ferida
procurando se alinhar sem astros
sem magos, sem magia, 
mas com autonomia de Dona

é estranho entender do nada
que o sorriso que te abrigava
era um castelo mal,
cheio de tralha mofada



De repente,
tudo o que o coração dizia
nas entrelinhas, era verdade
e ter a comprovação dos fatos, arde

eu só queria amar e navegar 
com meu navegante
seguindo adiante se amando 
no fundo das certezas 
que não se escreve nos muros, mas nos olhos!

Camila Senna







?



Nos muros da minha Cidade - Nova Iguaçu



VERSOS NOS MUROS SÃO FLORES

Camila Senna



Resiliência!!!!!!


17 de setembro de 2013

...



Eu tenho uma rede no olhar
Um caminho nos lábios
Um abraço com o nome: “fica!"
Um gingado na língua
Uma prosa charmosa
E a poesia de Dona.

Camila Senna



12 de setembro de 2013

Do caminho...

Entre a partida
e a chegada,
gosto mesmo
é do caminho.
 
Camila Senna

9 de setembro de 2013

Poesia na rua

Agonia a poesia
que não se liberta do papel

Mar-ginal
atemporal
e Atual.


C.Senna

 

Meu (par)tido!

O meu partido
Só faz sentido
Se minha caligrafia
For liberta dentro da poesia!

Camila Senna